7/15/06

O da Joana regressa em Setembro, ou talvez em Agosto. Outubro, se calhar. Epá, depende.


- Estou?

- Sim filha, sou eu.

- Oi mãe, então? Já há novidades?...

- Sim querida. O pai ligou-me agora.

- (...) E...?

- Ele já consultou a chave desta semana...E...oh filha...lamento, ainda não foi desta.

- Hum... ok mãe. Obrigada por teres ligado. Beijinho.


Tit tit tit...


- Bolas... estou mesmo a precisar de férias.

7/13/06

Porque eles sabem tão bem como nos atingir.


À chegada a casa:

- Oi pai, tudo bem? Olha hoje não janto. É dia do Clube Gourmet.
- Hum. (não descolando os olhos da televisão)
(...)
- Isso quer dizer que não vais provar o Carte d'Or de toblerone que está no frigorífico à nossa espera...
(...)
- Pai! isso é no mínimo perverso- e carregando aos ombros o peso de um mês de desejo por tão bela caixinha, dali saí pesarosa.

- Ah! e há moraaaaaaaaaaaaaaaaangos...

(...)

-...pa-ra o caaaaaaaso de nãaaao gostarmos do tobleroooooooooooooooone


BAAAAAAAAM! (a porta fecha. Cai o pano)

7/11/06

Apontamentos do dia-a-dia

Sempre achei um pouco perverso aquele pousar das moscas...aquele ávido esfregar de patas em frente ao meu camembert. Felizmente, parecem não gostar de vinho.
Mas dou comigo a pensar... não vá o diabo tecê-las, e se amigarem da broa de milho (as porcas!) talvez deva entrar em negociações, como o meu pai com aqueles bichos de pêlo e orelhongas grandes:
ele não lhes toca nas cenouras, eles não lhe bebem o Whisky.
Sabe-a toda, o meu progenitor.

7/7/06

Quem tem alguém tem tudo. Materialização da expressão ' No man is an island' no enquadramento económico de um país de tanga-wear.

O calor cortante daquele Centro de emprego criava um ambiente slow-motion algures entre um videoclip mtv, um cenário de faroeste e uma sala de banho turco nas termas das Felgueiras; mas sem as velhotas em fato de banho e touca de flores, e em vez disso muita gente da população activa. Activa em manter o subsídio de desemprego.
Tiri-ti... O ruído electrónico sinalizando a passagem de senha introduzia alguma dinâmica naquele ecossistema de gente suada, sem emprego, e com muitos acessórios da loja dos chineses... uma dinâmica com o seu quê de embalo.


- Desculpe minha Senhora, estou aqui há tanto tempo. Ainda demorará muito?..

- ...Pois, estou a ver mas vai ter que aguardar. Só cá estou eu a atender, ficámos sem duas colegas agora há pouco tempo. Tenha paciência.

- Bom (rindo, em contagiante P.A.L.O.P. style) não sei se já lhe disse mas eu estou sem trabalho...?! Não quer uma maõzinha aí não?



Cada um faz o que pode nesta bonita roda que é fazer parte da população em idade activa em Portugal, mas tudo corre melhor quando há alguém ao lado disponível para promover estretégias de coping perante o stress, estimular uma atitude proactiva no controle da escolha profissional, dar uma pancadinha nas costas, sacudir avidamente um par de bochechas coladas à página dos classificados:


- "Quem é a desempregadazinha mai linda aqui dentro?! Quem é? QUEM ÉÉEEEEEEEEE????"




Nota de autor:
N.1: Não esquecer de investir menos nos títulos e mais nos posts.
N.2: Não esquecer de consultar as notas de autor.