4/25/06

Tem pai qu'é cego!!! (Já dizia Jô Soares)

"Bola" tem o seu quê de 'roto'. Não será inteiramente apaneleirado, mas que se põe a jeito, põe. Bem sei que logo vai ocorrer à cabeça cogitante do muy estimado leitor adjectivos como “inculta”, ideias de falta de sentido desportivista, rótulos como o de fêmea típica, vaca ressabiada e outros lugares-comum do género. Até têm razão. Mas esfrego avidamente o nariz a esse princípio de que gostar de futebol é quase o arquétipo da masculinidade. THE arquétipo.
Pessoalmente, sempre desconfiei. Parece-me um 'tiquinho' abichanado tanta preocupação com a indumentária: meínha a condizer com o calção sem agredir com a t-shirt, em harmonia razoável com o logotipo do patrocinador; a norma das duas cores para ser agradávelzinho à vista; mudar de equipamento... porque "Deus me livre que aquela gente toda me veja com a mesma roupa!"... Mmmmmmm.
E tanto contacto físico?!... (esfregadela narigal) Ele é palmadinhas no rabiosque en passant assim como quem não quer a coisa, é moches e saltinhos para o colinho uns dos outros. Abracinhos que terminam em beijinhos no pescoço e cafunés no cabelo. É despir de t-shirts...E porquê?!... “Ah, porque foi golo e estamos tão contentinhos e suados e isso”... Bah! E dizem que o queijo da Ilha tem pico a azedo! Depende! Se for o de S. Jorge, tem sim senhora. Mas nada que uma boa barradela de manteiga não corte. E é o que lhe acentua o sabor.
E aqueles nomes que eles chamam uns aos outros que se vê perfeitamente em slow motion na televisão? Sim, porque EU sei ler nos lábios…Ai "filha és tã' bruta"..."filha qu’és tã' bruta"!!! É que se ainda fosse pra chamar filho da puta, isso era d' homem...mas assim..?!
Homem que é homem faz-se à bola qual toureiro, mão na anca, o vigor todo em riste exibindo o orgulho nacional e clama pelo perigo de peito aberto. Clama!… agora, não segura nas misérias com aquele ar frágilzinho de Maria-Amélia. Cada vez que há um lance perigoso mete dó vê-los assustados e encostadinhos em fila como se do outro lado houvesse um pelotão de fuzilamento…………………rotos!!!!

Já dizia o outro… Homem que é homem não come mel, come abelhas!!! Homem que é homem…é…é homem, pá.
Haverá inclusivé coisa mais típica de bicha tonta do que o próprio fenómeno do Hooliganismo? ‘AOS NOSSOS MENINOS SÓ NÓS É QUE PARTIMOS A BOCA, O-K?!! E vamos armar uma escandaleira à vossa porta e F”#*@ aquilo tudo!!... Sei lá. Porque sim.’ (para ser ‘lido’ a esbracejar)
Mas esta hipocrisia tem os dias contados. A gay'zês está na ordem do dia. Não tarda eles saem do buraco! (não, não era uma piada gratuita). No dia em que o árbitro trouxer nas mãos um organizer A4 com separadores coloridos, uma caneta com tampa em pêlo dourado a fazer pandant com as pestanas da Cher na capa (Sim. Eu tenho os meus contactos lá dentro) em vez do bloquinho ranhoseco, isso será a palavra-passe para que eles soltem a franga...nesse dia... NESSE DIA eles cantarão de galo!!...ELES.


Vão mas é à pesca pá !! Isso é qu 'é d' homem!!!




* Nenhum homossexual foi magoado durante a elaboração deste post. A autora adverte que tem o maior respeito pela comunidade gay. Diz que ela também gosta de homens.
" Há que respeitar a beleza patente num corpo masculino vislumbrado de costas."
Joana, 10.06.2004 em entrevista ao Expresso, folheto informativo de horário de comboios. *

4/18/06

Um faduncho por dia dá saúde e alegria

[Coça-se a garganta. Afina-se o grasnar]

Ela pega nas chaves, enquanto avança para a porta.

[Dedos na guitarra. Verifica-se o tom]

Ele detecta movimento. Olha expectante.

[Fecham-se as luzes]

Silêncio que se vai cantar o fado. E é dos vadios... Vamos lá ver se o apanhamos...C o f c o f…


Pai: Nãaaaaaaaaaaaaaaaaaao ve-nhas tarde..

Filha: Diiiiiiiiiiiiizes-me tu co’m caaaaaa-rinho

Pai:…Por-que se veeeeeeeeeens taaaaaaaaaarde…(Pom-pom-pom)

… táslixadaquelevasnofocinhooooooooooooo!!!!!!

[a porta fecha. A música acaba. O pai voltou para o sofá com aquele sorriso de quem "era tão bom se esta noite ela não fosse sair". Ela sai com um sorrisão. “O meu pai é tão gente boa.”]

4/3/06

Ele-há gulosos de 1ª, e há os outros.

Guloso de primeira...no seu formato mais puro...bom, é o meu pai.
O Guloso de primeira é aquele especímen raro que não conhece o sentimento de culpa que esta nova cultura pseudo-light tenta instituir. E nem adianta falar em marmelada light. Ele nem sequer sabe que isso existe. O Guloso de primeira é esse grande... GRANDE homem que, ao cruzar-se consigo no corredor com um toucinho do céu e um pudim flan na mão consegue, perante ar alheio estupefacto, lançar um outro de consternação indignado:

- HUNF!! ...Preconceituosa!


Avé! pai... Ainda há quem tenha valores (vénia)